História

A ilha da Madeira foi descoberta pelos navegadores portugueses Tristão Vaz Teixeira, Bartolomeu Perestrelo e João Gonçalves Zarco em 1419, que apelidaram a ilha de ‘Madeira’ devido à abundância desta matéria-prima.
 
Tendo sido notadas as potencialidades das ilhas, bem como a importância estratégica destas, iniciou-se, por volta de 1425, a colonização destas ilhas.
 
No início do seu povoamento foram introduzidas algumas culturas agrícolas como a cana-de-açúcar, que rapidamente conferiu à metrópole funchalense uma franca prosperidade económica. Este facto levou a que na segunda metade do século XV, a cidade do Funchal tenha se tornado num porto de escala obrigatório para as rotas comerciais europeias.
 
Os séculos XVII e XVIII ficaram marcados pelo aparecimento de uma nova cultura que impulsionaria novamente a economia da Madeira: o vinho.
 
Ao longo dos séculos XIX e XX, a Madeira floresceu para o nascimento do sector turístico, tornando-se rapidamente numa referência obrigatória para a aristocracia europeia que aqui fixou residência temporária, atraída pelas qualidades terapêuticas naturais da ilha.

Em  1976, a Madeira passou a ser uma Região Autónoma da República Portuguesa, ganhando assim poder legislativo.
 
Descoberta do Arquipélago da Madeira

Os navegadores descobriram a ilha do Porto Santo em 1418, após uma tempestade ocorrida em alto-mar, sendo a embarcação foi afastada da sua rota, pela costa de África. Depois de muitos dias à deriva pelo alto mar, avistaram uma pequena ilha a que chamaram de Porto Seguro, Porto Santo, pois a mesma salvou a tripulação de Zarco de um destino fatídico.
 
Época do ‘Ouro Branco’

No século XV, a Madeira inicia o cultivo da cana-de-açúcar, importada da Sicília pelo Infante D. Henrique. Com a rápida expansão da indústria da cana sacarina, o Funchal torna-se um centro comercial de excelência, frequentado por comerciantes de várias nacionalidades, o que muda a sua dimensão financeira insular.
 
Ciclo do Vinho

Nos meados século XVI, o célebre dramaturgo inglês William Shakespeare, cita a importante exportação e notoriedade do Malvasia madeirense na sua peça "Ricardo III", cujo drama termina com o duque de Clarence, irmão do rei Eduardo IV de Inglaterra, morto por afogamento dentro dum tonel deste vinho.
  
Turismo Terapêutico e Científico

Nos séculos XVIII e XIX, a Madeira destacou-se pelas suas qualidades climatéricas e pelos seus efeitos terapêuticos, revelando-se, a partir da segunda metade do século XVIII, como estância para este fim, em função das então consideradas qualidades profiláticas do seu clima, na cura da tuberculose. 
 
Primórdios do Turismo

No século XIX, os visitantes da ilha resumiam-se a quatro grandes grupos distintos: doentes, viajantes, turistas e cientistas. A maioria dos visitantes pertencia à aristocracia endinheirada, pertencendo à lista aristocratas, príncipes, princesas e monarcas.
 
Desenvolvimento da rede de transportes

Na primeira metade do século XX, as atenções concentram-se no transporte aéreo. 
A abertura ao mundo, por esta via, inicia-se através dos hidroaviões, que começaram a operar a 15 de Maio de 1949, com aparelhos da "Aquila Airways". 
 
Autonomia da Madeira

A Madeira ganha a sua autonomia política administrativa em 1976, tornando-se numa Região Autónoma da República Portuguesa. Este facto resulta da Revolução de 25 de Abril de 1974, que marcou o início de uma nova era.
 

Subscreva a nossa Newsletter

Se pretender receber as nossas notícias, queira subscrever a nossa newsletter.
Subscrever

Virtual Visit Photos 360º

virtual.visitmadeira.pt
Visit Now >

Facebook Fan Page

Youtube Flicker RSS ISSUU
Award Madeira Islands SRT Região Madeira