Vereda da Ponta de São Lourenço

  • PR8 - Vereda da Ponta de São Lourenço
  • PR8 - Vereda da Ponta de São Lourenço
  • PR8 - Vereda da Ponta de São Lourenço
  • Fotografias
  • Localidades

A vereda de 4 Km, com duração 2:30 horas, explora a península de São Lourenço. O caminho é ondulante, está em boas condições e permite observar as paisagens de arriba da ponta Este da ilha.
 
O trilho percorre a Ponta de S. Lourenço, península mais a Este da ilha da Madeira, batizada com o nome da caravela de João Gonçalves Zarco, um dos três descobridores da ilha da Madeira.
Esta península é de origem vulcânica, na sua maioria basáltica, existindo também formações de sedimentos calcários. No seu seguimento temos dois ilhéus: o ilhéu da Cevada, da Metade ou dos Desembarcadouros, o ilhéu da Ponta de S. Lourenço, do Farol ou de Fora.

A península está classificada de reserva natural parcial e o ilhéu do Desembarcadouro de reserva natural integral. Toda a área terrestre e a área marinha adjacente à costa Norte, até à profundidade dos 50 m, integram a rede europeia de sítios de importância comunitária - Rede Natura 2000.
O clima semiárido e a exposição aos ventos do Norte determinam o desenvolvimento da vegetação rasteira e a ausência de árvores, diferindo do resto da ilha e constituindo um verdadeiro património natural. Aqui encontra-se o andar basal da ilha da Madeira em melhor estado de conservação e várias plantas raras e endémicas.

Das 138 espécies de plantas atualmente identificadas na península, 31 são exclusivas da ilha da Madeira (plantas endémicas). Ao nível da fauna destaca-se uma das maiores colónias de Gaivotas (Larus cachinnans atlantis) da Região, que nidifica no ilhéu do Desembarcadouro.
Ao longo do trilho é frequente avistar várias espécies de aves como o Corre-caminhos (Anthus bertheloti madeirensis), o Pintassilgo (Carduelis carduelis parva), o Canário-da-terra (Serinus canaria canaria), o Francelho (Falco tinunculus). Neste local também nidificam aves marinhas protegidas como a Cagarra (Calonectris diomedea), o Roque-de-castro (Oceanodroma castro), a Alma-negra (Bulweria bulwerii) e o Garajau-comum (Sterna hirundo). Para além das aves existe uma espécie de réptil terrestre a lagartixa (Lacerta dugesii), único réptil terrestre da ilha, que nesta zona é abundante. Outro dos aspetos interessantes deste local é a existência de um número elevado (24) de endemismos de moluscos terrestres, vulgarmente designados de caracóis.
No mar, com alguma sorte, poderá observar a foca, com nome comum Lobo-marinho (Monachus monachus).

No fim do percurso existe um edifício, a casa do Sardinha (nome de família dos antigos proprietários), dando apoio aos vigilantes do serviço do Parque Natural da Madeira, responsável pela vigilância desta área. No final poderá dar um mergulho no cais do Sardinha. Na linha do horizonte temos a Sul as ilhas Desertas e a Norte as ilhas do Porto Santo.
Detalhe Distância: 4 Km (+ 4 Km regresso) Dificuldade: Médio Duração: 2:30 horas Início/Fim: E.R. 109 (Baía d’Abra - Caniçal) / E.R. 109 (Baía d’Abra - Caniçal) Altitude min/máx: 110 m / 5 m

Downloads

Apps
Madeira Weather
Madeira Weather App Store Google Play

Downloads

Brochuras e Mapas
Passeios a pé
Passeios a pé Download PDF
Brochuras e Mapas
Mapa Madeira
Mapa Madeira Download PDF

Próximos Eventos

Turismo Ativo e Desporto
MIUT - Madeira Island Ultra Trail 28 de abril Ver evento

Informação Importante

Por favor, leia esta informação informações e recomendações sobre os passos a ter antes de efectuar as caminhadas
Não se aproxime demasiado da falésia pois são muitos os locais onde o solo não é seguro.
Transporte água suficiente para beber.
Adicionar À sua viagem Download   Trail Brochure Download   Trail Map Voltar
Partilhar
Youtube Flicker RSS ISSUU
Europes Leading Island Destination - WTA Award Madeira Islands SRETC Região Autónoma da Madeira