Vinhos da Madeira e Gastronomia. Um casamento perfeito.

A melhor forma de apreciar devidamente um vinho é a acompanhar comida. Mas também é a forma em que deve haver mais cuidado, principalmente na escolha do vinho para um certo prato, para que se consiga um equilíbrio entre aromas e paladares de um e de outro.
 
Cada tipo de vinho tem as suas caraterísticas muito próprias, o que aumenta a dificuldade de escolha.
 
Depois, há o gosto de cada um, há quem só goste de brancos, há quem só beba tintos, e o grau e dificuldade na escolha vai aumentando. Só há uma maneira de ultrapassar estas situações: é provar muitas vezes, e sempre com ligações diferentes, para tentar descobrir as que mais gostamos.
 
No caso dos dois tipos de vinho da Madeira - tranquilos (vinhos de mesa) e fortificados (vinhos Madeira), o leque de soluções é muito vasto, o que lhes confere capacidade para responder a muitas solicitações por parte da culinária.
 
Os vinhos da Madeira tranquilos apresentam-se com uma ótima acidez, são frescos e normalmente têm baixo teor alcoólico.
 
Acompanham muito bem os pratos tradicionais de peixe e marisco, sobretudo os brancos e os rosés. Também os tradicionais pratos de carne, com destaque para a Espetada em pau de loureiro, ligam muito bem com vinhos da Madeira, principalmente os tintos.
 
Mas estes vinhos vão muito além, pois podem-se explorar harmonizações com culinárias tão diversas como o sushi, comidas indiana, italiana e a chamada comida mediterrânica. Por isso, os vinhos da Madeira começam também a ter sucesso no Continente Português e mesmo em alguns países, onde os consumidores descobrem agora estes vinhos diferentes.
 
Por outro lado, os vinhos fortificados, já com alguns séculos de história um pouco por todo o mundo, são cada vez mais utilizados em harmonizações diversas, devido à sua grande versatilidade e qualidade.
 
Apesar de serem vinhos doces, a sua elevada acidez dá-lhes a frescura necessária para poderem ser utilizados como aperitivo, mas também com algumas estradas de queijos, de fumados, até de foie gras, muitas vezes uma surpresa para muitos consumidores. Depois, são as naturais ligações às sobremesas muito diversas que fazem dos vinhos Madeira uma opção segura.
 
Entre secos, meio secos, meio doces e doces, há sempre um vinho Madeira para ligar com uma sobremesa. Depois duma boa refeição, para os apreciadores, um Madeira faz companhia perfeita a um bom charuto.
 
Como dizia Sir Winston Churchill, grande apreciador de vinhos Madeira e charutos: “Não sou exigente, contento-me com o que há de melhor”.
Youtube Flicker RSS ISSUU
Madeira. Tão Tua World´s Leading Island Destination 2020 - WTA Award SRTC Região Autónoma da Madeira